segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Perdido na estrada da vida...


“Não somos responsáveis pelos acontecimentos, mas sim o que fazemos com eles.”

Posso me arrepender? Devo admitir todos os meus erros? Parece o certo a se fazer. Não permitirei que o passado prejudique e manche o meu futuro, pois o mesmo ainda deve ser construído.

"Errar é humano, persistir é tolice."

Reconhecer as nossas falhas é o primeiro passo para não repetí-las.

Corrigir, melhorar, recorrigir, reparar...

Pelo menos devo tentar ser agradável, prestativo, e de princípio...menos chato! Pode ser minha última chance, ou nem isso, mas o que custa tentar? Não tenho mais nada à perder, e, lamúrias não irão resgatar o que deixei para traz. Farei o possível e o impossível, tudo o que estiver ao meu alcance e o que supostamente também não.

Conquistar, admitir, reconquistar, contrigir... pedir perdão!

Submeto-me as conseqüências e deixarei que elas falem por mim. Se não der certo, abrirei uma loja de inconveniências.

3 comentários:

  1. O primordial é não deixar de errar, não devemos cometer o mesmo erro, mas erros diferentes significam novas tentativas. Certo?

    ResponderExcluir
  2. Perfeito! Pois são com estes mesmos erros que aprendemos à não repetí-los.
    ;) Merci par le son commentaire.

    ResponderExcluir
  3. Por nada, gosto dos seus textos.

    E de fato não confio no amanhã, tenho medo do que ele pode me levar a fazer.

    ResponderExcluir